Coletivo Brancaleone

terça-feira, 17 de maio de 2011

A Velha Escola do Punk Rock

Punk Rock como nos bons e velhos tempos!!!
Discotecagem em Vinyl com Luiz (Ratinho) e Ariel.
Dia 11/06, às 21 horas.

Pré ManiFest VI

No dia 7 de maio foi realizado o VI Pré ManiFest, na Vila Prudente. Organizado com o apoio do Projeto Florescer, o evento teve doações de sementes e mudas. A entrada do som foi gratuita, com cerveja barata e bandas de qualidade.  O evento teve a participação das bandas Genocídio Nuclear, Kob 82, Indigesto, Lokaut, Phobia, Subviventes e Massacre em Alphaville, sem contar a discotecagem do melhor punk rock no vinil com a Sp Paranoia, uma tarde especial para quem faz o punk se movimentar.  Vamos aos shows...

Genocídio Nuclear
Banda da nova da região leste de São Paulo, tocou boas músicas próprias  com letras de protesto, esperamos mais shows dessa banda, não temos vídeos dela no evento.

Kob 82
Banda já conhecida no cenário paulistano fez apresentações em festivais importantes e representa  bem a nova geração. Fez um show com musicas rápidas e muita energia, com alguns covers de bandas clássicas do hardcore. Agradecimento especial ao Presunto e Raul que ajudaram para que esse evento acontecesse.

Indigesto
Banda punk das antigas! Como é bom ver na ativa. Seu guitarrista Jonas detona na guitarra, com riffs e solos pesados, Babão e Leine da formação original seguros em seus instrumentos fazem os vocais, uma ótima surpresa daquela tarde.

Lokaut
Banda formada em meados de 2000, participou da coletânea do 1° Festival Sp punk, conta com Katia, Celo  - em seu  show de estreia na banda, Mônica  e Nicolas no baixo, que junto com Babão participaram da organização do evento. A banda fez uma apresentação agressiva com músicas novas e a antigas.

Subviventes
Banda que dispensa apresentações, já participou esse ano de outros “Pré ManiFest”, detonaram com seu  punk rock bem tocado e letras marcantes, uma apresentação muita boa e destaque ao cover do Stiff Little Fingers! levou a galera ao delírio.

Phobia
Banda clássica do punk rock paulistano, participou de diversas coletâneas como Sp Punk vol 1, Punk rock e Resistencia, com dois álbuns de estúdio lançados e um Split, detonou no palco. Agradecimento especial ao Claudio que veio de São José dos Campos e para o Demente que esta sempre conosco.  Nada melhor que o vídeo para mostrar o quanto é foda a banda Phobia.

Massacre em Alphaville
Última banda da noite com nosso amigo Douglinhas estreando na banda como baixista, a banda já bem conceituada no cenário, com cds e camisetas a venda no dia, fez um show rápido, com levadas de metal, hardcore e crust, finalizou mais um pré manifest VI, aguardem os próximos...


Por Nícolas Lokaut

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Nova Parceria!

O Coletivo Brancaleone fechou uma parceria com o Cidadão do Mundo!
A partir de junho, duas vezes por mês, vamos rolar o melhor do punk rock nacional e internacional no espaço em São Caetano do Sul.
Vamos fortalecer a cena punk! Estamos buscando outras parcerias.
Se vocês tiverem alguma sugestão, escreve pra gente.

coletivobrancaleone@hotmail.com

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Tudo o que rolou no Pré ManiFest V

Domingo cinza e chuvoso em SP. Feriado de 1° de Maio. Três horas da tarde e os punks começavam a colar na porta do pico, o Sattva Bordô, na Praça Roosevelt.

Ódio Social abriu o som.




A 2° banda foi Subexistência.



Depois foi a vez do 88 Não! subir no palco.


Psicultura, de Sorocaba.


Juventude Maldita.



E o som terminou com Invasores de Cérebros no palco.





Apesar do atraso que tivemos que enfrentar, todos estavam no maior barato de curtir um som quando a casa abriu. O importante é que não importa por quantos contratempos teremos que passar, nada vai nos impedir de continuar fazendo MOVIMENTO PUNK. Situações como essa apenas nos dão mais gás para correr atrás de fazer sons melhores. Esse é o nosso objetivo.

domingo, 1 de maio de 2011

Meu 1º de Maio - Maiakowsky

Todos que marchais pelas ruas e deteis as máquinas e as fábricas,
todos desejosos de chegar a nossa festa
com as costas marcadas pelo trablaho, saí a 1º de maio,
o primeiro dos dias.
Recebê-lo-emos, camaradas,
com a voz entrecortada de canções.
Primavera, derretei a neve.
Eu sou operário, este dia é meu.
Eu sou camponês, este dia é meu.
Todos, estendidos nas trincheiras esperando a morte infinita,
todos os que num carro blindado atiram contra seus irmãos, escutai:
hoje é 1º de maio.
Partamos ao encontro dos primeiro de nossos dias, enlaçando as mãos proletárias.
Calai vossos morteiros!
Silêncio, metralhadoras!
Eu sou marinheiro, este dia é meu.
Eu sou soldado, este dia é meu.
Todos
das casas, das praças, das ruas, encolhidos pelo gelo invernal,
todos torturados de fome, das estepes, dos bosques, dos campos,
saí neste 1º de maio!
Glória à gente fecunda!
Desabrochai, primavera!
Verdes campos, cantai!
Soai sirenes e apitos!
Eu sou de ferro, este dia é meu!
Eu sou a terra, este dia é meu!